Comidas com história...

(Imagens Google)

Hoje vamos cozinhar um Polvo. Um bicho feio, de aspecto raro e sinistro, mas delicioso. Para quem não sabe, os Polvos são moluscos marinhos, também conhecidos por octópodos, por possuírem oito braços com fortes ventosas dispostos à volta da boca. Este "para quem não sabe" refere-se obviamente a quem nunca viu um Polvo inteiro. Nada mais natural, principalmente nestas gerações mais recentes, acostumados a comprar tudo empacotado em doses individuais. Sabe lá a minha filha, hoje com 19 anos, de qual parte da vaca sai o bife da vazia, de que ela tanto gosta? Não sabe ela, nem a maioria dos jovens da sua idade! Não porque não sejam inteligentes, não sabem porque o modo de vida hoje é diferente do que foi o nosso. Aprendem outras coisas. Não sei se melhores, se piores, mas diferentes. Sinais dos tempos...

Como qualquer outro alimento, existem várias maneiras de cozinhar o Polvo, embora as mais conhecidas sejam o Arroz de Polvo, a Feijoada de Polvo, os Filetes de Polvo, que são panados e fritos, e a Salada de Polvo, uma espécie de Gaspacho, servido a frio. Mais tarde, começou a ver-se nas ementas o Polvo grelhado, a que chamaram Polvo à Lagareiro, certamente por ter muitas semelhanças com o famoso Bacalhau à Lagareiro, cuja receita já partilhei neste blog, e cuja comparação eu muito sinceramente acho desadequada, porque embora o aspecto final seja parecido, o modo de preparação difere em muito. Enquanto que o Bacalhau é assado na brasa, o Polvo tem de ser bem cozido primeiro em água e só depois vai a marcar no grelhador. Colocá-lo cru a grelhar apenas o endurece, deixando-o como uma sola de sapato, que não se consegue comer.

Então vejamos, o Bacalhau à Lagareiro chama-se assim, por ser uma receita criada pelos Lagareiros, quando passavam dias seguidos a trabalhar nos lagares do azeite. Hoje é um peixe nobre e caro, mas tempos houve em que o Bacalhau era o prato dos pobres e era assim cozinhado, em terras Beirãs, no interior do nosso Portugal profundo, assado nos fornos dos lagares, disposto em cima das brasas. Assavam-se também cebolas e batatas com casca, espetadas num arame e penduradas dentro do forno a lenha. Juntava-se alho cru e regava-se com bastante azeite acabado de tirar do lagar. Uma forma rápida e económica de preparar uma refeição, a meio da lavoura. Como quase todas, esta receita foi sofrendo algumas alterações ao longo dos tempos, juntaram-lhe os pimentos assados e outros ingredientes.

Vamos ao Polvo? Então vamos lá, que o bicho está aqui numa bandeja a olhar para mim, pronto a ser cozinhado. Primeiro colocamos uma panela grande ao lume, meia de água e sem qualquer tempero . Quando começar a ferver, vamos pegar no Polvo pela cabeça e mergulhá-lo na água, retirando-o de seguida. Efectuamos esta operação por três vezes, cerca de 2 segundos de cada vez e só depois o deixamos dentro da panela. Isto para quê? Seguramente que já viram por aí algum Polvo cozido, com a pele toda desfeita, que lhe dá um mau aspecto. Este "escaldão" inicial vai-lhe endurecer a pele, de forma a que aguente a cozedura, sem se desfazer. Aprendam se quiserem, porque eu não serei sempre vivo...


Outra dica: juntem uma casca de cebola na água, que vai dar ao Polvo uma cor ainda mais acastanhada. A casca de cebola pode ser usada também quando se cozinham ovos de casca branca. Dá-lhes aquela cor dos ovos campestres. Não lhes altera em nada o sabor, mas dá-lhes outro aspecto e os olhos também comem.

Passaram 90 minutos e o nosso Polvo está cozido. Retirei-o da água e deixo-o a escorrer, aberto em cima de uma vasilha virada de fundo ao ar. Nesta fase de arrefecimento, convém deixar-se os braços separados entre si, para não se pegarem, uma vez que a pele fica meio gelatinosa. Vou cortar-lhe as pontas mais finas e a cabeça, que servirão para qualquer outra receita das que já mencionei ali em cima. Hoje vamos usar apenas a parte mais grossa dos tentáculos, cortando-os em pedaços de 10 cms. Com uma faca de bom corte, vamos abri-los depois ao comprido, em duas metades. Mais tarde, antes de o servir, vai a marcar no grelhador bem quente.

Para guarnição, e para sair um pouco das batatas ou arroz, que são a base da culinária portuguesa, vamos preparar uma mandioca, que já descasquei e cozinhei, cortada em pedaços, cenoura-bébé e umas flores de Brocoli.

Tudo isto será bem regado com uma infusão de pimentos marrons, cebolinha, alho, pimenta fresca e oregãos, em azeite de oliva e vinagre balsâmico, que preparei numa frigideira, começando por fritar o alho picado, a cebolinha e os pimentos cortados em tiras, onde acrescentei depois meia chávena de vinagre, os oregãos, a pimenta moída e sal qb. Não devemos esquecer que muitas das ervas e especiarias utilizadas na culinária perdem algumas propriedades ao serem expostas a altas temperaturas, pelo que convém sempre que possível, juntá-las no final, mesmo antes de apagar o fogo, ou polvilhá-las cruas.

Aqueço agora no forno uma travessa de barro, onde faço uma cama com a mandioca ao centro e rodeio com o Brocoli e as cenouras. Por cima deito o Polvo que já marquei no grelhador e rego tudo abundantemente com a infusão que também já está pronta. Enfeito com as tiras de pimento, a cebolinha em rodelas, azeitonas e polvilho com um pouco de salsa e coentros picados.

Acompanho com uma salada de agriões, tomate-cereja, uvas passas e um pouco de requeijão, polvilhada com manjericão picado e salpicada com vinagrete.


Para beber, vai ser um Quinta da Cabriz de 2007, que foi uma colheita razoavel. Tinto! Um vinho encorpado e cheio de aromas, mas pouco doce, que não choca com o vinagre balsâmico da infusão. O Polvo e o Bacalhau são os únicos dois pratos de peixe que a meu ver encaixam bem com o tinto. Como o jantar vai ser só a dois, provavelmente acenderemos uma vela e colocaremos uma música de fundo, para descontrair.

Aconselho-vos a fazerem o mesmo. Com boa vontade pode-se passar uma noite diferente, sem gastos acrescidos. Estes pequenos mimos ajudam-nos a relaxar o corpo e o espírito. Bom apetite!

Francisco Vieira

75 comentários:

  1. Ñunca comi polvo (eu acho).
    Quando vou em restaurante de comida japonesa, sempre pergunto:se comer o lula, o presidente sai do poder?
    Eu como, como..mas ele continua vivo...

    ResponderEliminar
  2. eh eh eh eh boa tarde Mariana!

    Eu tambem farto-me de acender a fogueira com CAVACOS (madeira), mas o meu presidente nao desaparece :-)

    Beijos e boas ferias

    ResponderEliminar
  3. Ola Ola
    obrigado pela visita
    eu adoro polvo pois claro, mas na "america profunda" onde vivo tenho muita dificuldade em encontrar polvo fresco...mas como estou aqui em Portugal ja matei saudades de um bom belo polvo...
    bjo voltarei

    ResponderEliminar
  4. America, sejas tambem bem vinda. Eu vim de Portugal ha 1 semana, onde tambem me deliciei com algumas refeicoes do bicho.

    Aqui onde estou encontro facilmente polvo. Quando voltares e tiveres saudades, apita que te envio uma caixita dele :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Nunca comi polvo tb. Agora, amei os acompanhamentos.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Fatima, nao acredito! Uma cozinheira de mao cheia e nunca provou polvo? Muito mal :-)

    Beijos. Ja vi a sua tarte de limao. Gostei

    ResponderEliminar
  7. Cá em casa adoramos polvo. O meu Nuno então de todas as maneiras. Esta receita nunca a fiz mas vou fazê-la para domingo e ele vai adorar.
    A semana passada fomo a um restaurante que tinha arroz de polvo acompanhado com filetes (que eu adoro) mas como dias antes tinham aparecido polvos mortos nas praias de Aguda e Miramar, eu não consegui comer. O Nuno só dizia: Fazes mal, Mãe! Está uma delícia!
    Fiz uma experiência, não de culinária... se andares pelo meu blog, talvez descubras!
    Um beijo e bom apetite
    Graça

    ResponderEliminar
  8. Oh Graça, eu a chegar da tua palhota e a ver aqui o teu comentario. Voltei mla atras da experiencia, ja corri tudo mas nao vi nada :-)

    Tens de me dizer, porque eu sou meio despistado e nao vejo um padeiro, por vezes.

    Beijo e faz o polvo pro rapaz, que os que morreram ja nao se devem ter comido todos eh eh eh

    ResponderEliminar
  9. Olá Francisco
    tudo bem?
    Fogooo.... que grande almoço preparaste aí para o pessoal..
    Embora não seja um amante de Polvo, tenho que reconhecer que a imagem faz crescer o apetite
    Asa castanhas iam e o Cabriz era até á ultima gota eheheheh
    abraço

    ResponderEliminar
  10. Bom dia Luis! eh eh eh Ja vi que és dos meus, lol

    Obrigado pela visita! Um abraco

    ResponderEliminar
  11. Meu amigo,,,,vou te ser sincero,,,não sou muito apreciador da culinaria maritma...rs..rs..rs...nunca comi polvo,,,acho que nunca vou experimentar..rs..rs...abraços e um belo dia....

    ResponderEliminar
  12. Everson, respeito, mas deixa-me dizer-te que o peixe faz tanta ou mais falta ao homem, como a carne :-)

    Mas os gostos nao se discutem!

    Um abraco para ti

    ResponderEliminar
  13. ohhhhhhhhhh faxfavorrrrr para mim pode ser polvo a lagareiro ou uma salada de polvo, mas so para a hora de almoco :-)

    Parabens ao Marco Paulo, um grande cantor popular/romântico português com muitos anos de carreira, quem nao se recorda do tema "Eu tenho dois amores?
    Vou contar-te um segredo aqui para nos, que ninguem nos ouve, mas numa festa la da aldeia fui cantar com uma amiga esse tema, foi o sucesso total ahahahahaha

    Beijocas

    ResponderEliminar
  14. Bom dia Ana! Para ti, so as pontas dos corninhos :-)
    Estas de castigo eh eh eh

    Beijos

    ResponderEliminar
  15. eh la livra-te :-)
    ai estou de castigo? entao diz la porque eheheheh

    ResponderEliminar
  16. Ana, pois nao sei...sera por gostares do Marco Paulo?! lol

    ResponderEliminar
  17. ahahahahha eu nao disse que gostava do Marco Paulo, eu disse que cantei "Eu tenho dois Amores" kd. era kenina :-)

    ResponderEliminar
  18. Ah, ok...entao sempre te dou uma perninha :-)

    ResponderEliminar
  19. es mesmo forreta :-)
    para a proxima que comeres arroz malandro tambem levas so o arroz, e eu como o frango ahahaha

    ResponderEliminar
  20. ah ah ah ah manda so o sangue, que vem incluido com o frango e nao pagas mais por isso :-)

    ResponderEliminar
  21. boa ideia... para a proxima ja sei o que fazer... eu como o arroz malandro com alguem que tu sabes e tu comes... mas so com os olhos :-)

    ResponderEliminar
  22. mulheres unidas... jamais serao vencidas :-)

    ResponderEliminar
  23. Ah ah ah ah Ate o diabo se ria!

    ResponderEliminar
  24. ahahahahahaha acredito que sim :-)

    ResponderEliminar
  25. Hummmmmmmmm!
    Tudo muito perfeito por aqui.
    A música, a deliciosa receita, o vinho e a tua companhia, meu amigo, para destilarmos os acontecimentos da vida... lol,lol
    Desculpa-me a brincadeira
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Viva Malu! Faltava voce para completar o quadro :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
  27. Hoje estou numa do contra.
    Não gosto de polvo. Já tentei comer feito de várias formas e nada. Parece-me borracha! Daí esta sugestão não ir de encontro aos meus gostos gastronómicos;)
    Quanto ao vinho. Essa Quinta do Cabriz fica perto do meu trabalho. Fui uma vez às suas caves provar um espumante que lá fazem e gostei imenso. Os vinhos do dão estão a crescer imenso, penso eu, mas eu (olha o contra de novo) prefiro um vinhozito do Douro.
    Não me batas muito, ok?
    Abraço.

    ResponderEliminar
  28. Boa noite Cat! Realmente o Polvo e as lulas, ou se gosta ou nao se gosta. Nao existe um meio termo. Dessa parte estas perdoado :-)

    Quanto ao vinho, eu pessoalmente nao troco o alentejano por nenhum outro, mas para contrastar com a infusao deste prato, prefiro um Dao, que nao e tao adocicado.

    Abracos

    ResponderEliminar
  29. Olá Francisco

    Essa tua receita, dados os ingredientes de acompanhamento e temperos, Estará certamente divinal. Espanta-me a tua capacidade de lidar com eles e de os conjugar tão sabiamente. Essa tua capacidade, aliada à não menor capacidade de as fazer passar a público, fará ccom muiyta gente se delicie com ela. Continua que vou compilando a ver se o tal livro sai. Lol

    Um abraço

    ResponderEliminar
  30. Manel, es sempre a mesma coisa, pa! Quem te ler ainda vai pensar que sou cozinheiro :-)

    Abracos

    ResponderEliminar
  31. Ó c'um caraças! Uma pessoa ausenta-se e aqui acontece tudo!
    Uns casam-se! Outros vêm da América profunda até Portugal! Outros dão os Parabéns ao Marco Paulo! E outro ainda - sacrilégio - chama peixe ao polvo!
    Mas o que é isto?
    Ai, que tenho de começar a distribuir pontapés por aqui...

    ResponderEliminar
  32. Oh Contadora de Estorias, se essa do chamar peixe ao polvo for para mim, refiro-me realmente nesses termos, mas nao sem antes indicar o nome cientifico que voceses (biologos) lhe dao!!!

    Mas na minha area, dividimos a carta em 7 partes, Entradas, Sopas, Saladas, Mariscos, Peixes, Carnes e Sobremesas.

    Ora, em qual delas enfiavas o dito, oh diz la?!

    ResponderEliminar
  33. E não és? Então deixa de passar as receitas no blog porque as mesmas te denunciam e a mim não deixam que passe por mentiroso. Anda vê lá é questão do livrinho que é teu dever. Não podes nem deves admitir que alguns que andam por aí que ao invés de usar colher de pau, usam um canudo com lacre a prender as belas e vistosas fitinhas, enganem as pessoas ou induzam erro e engrossando os coraçõezinhos à bolsa.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  34. Ahhh e outra coisa, Contadora, se fosse o Brad Pitt que fizesse anos, derretias-te toda em parabens ao gajo. como foi o Marco Paulo ja te mete confusao :-)

    Mas olha que vi-o hoje na TV e achei-o bem, para quem completa 65 anos.

    ResponderEliminar
  35. Manel, es um sonhador!

    Ganha juizo :-)

    ResponderEliminar
  36. Tá bem. Vou preparar aqui um comentário sobre isso e pôr à votação. Estás f..., ou não comentam ou arrasam-te e lá terás tu de começar a fazer contas aos temperos.

    ResponderEliminar
  37. tá bem.

    Vou preparar um comentário sobre isso e estás f..., ou não comentam ou então arrasam-te e lá terás tu de começar a fazer contas aos temperos. :-)

    ResponderEliminar
  38. eheheh, se fosses tão bom cozinheiro como sou eu a lidar com esta máquina, bem que porias sal duas vezes na comida.

    Desculpem

    ResponderEliminar
  39. mas que passa por aqui, nao podem ver uma pessoa virar costas fazem logo uma rave :-)

    Story se fosse o Brad Pitt a estar de parabens quem lhe ia dar os parabens pessoalmente era aqui a loiraca bombastica :-)

    Manel conta com a minha ajuda ahahahaha

    Bem, agora vou tomar conta do arroz doce para o jantar, mas so para mim ke sou a unica que gosta :-)

    jokas para os tres meninos

    ResponderEliminar
  40. eh eh eh A Anocas nao pode ver uma rave que ai esta ela metida, como o piolho pela costura :-)

    Vai la fazer o arroz doce e depois apita!

    ResponderEliminar
  41. Oh Manel, com tanta emocao ate repetiste , lol

    ResponderEliminar
  42. esta pronto... mas estas de castigo... nao comi polvo tambem nao comes arroz doce :-)

    ResponderEliminar
  43. Ohhhhhh mas eu disse que te guardava as pontas, amiga!

    Vou amuar :-(

    ResponderEliminar
  44. ahahahaha as pontas???? ainda se fosse umas quantas pernitas do polvo :-)

    ResponderEliminar
  45. Um polvo é um molusco que pertence à ordem cephalopoda. Chamar-lhe peixe é crime!
    Quanto às ementas... pô-lo-ia na secção «Criaturas esquisitas comestíveis». Que tal a sugestão?

    ResponderEliminar
  46. oh contadora de historias se o bicho ja era feio, entao com esse nome ainda fica pior :-)
    olha que anda por ai alguns bichos bem feios e que segundo dizem as mas linguas tambem sao comestiveis ahahaha

    ResponderEliminar
  47. ah ah ah ah Story, boa! :-)

    Nota 10 para ti.

    ResponderEliminar
  48. Ana, as pontas pertencem as perninhas da "criatura esquisita comivel"!


    Comestivel, quero eu dizer :-)

    ResponderEliminar
  49. eh eh eh Ana, nao apoquentes a mulher, que eu ja me estiquei la no canto dela...

    Ja me apeteceu apagar, mas agora nao dou parte de fraco :-)

    ResponderEliminar
  50. olha que eu nao sou nada cusca mas ja la vou ver :-)

    ResponderEliminar
  51. pois claro que nao, ate parece que me conheces:-)
    eu ja pedi dispensa a nossa amiga Story, vamos la ver se tou dispensada eheheh

    ouve la aonde escondeste o Manel? as tantas ja anda de volta do tal comentario, prepara-te que amanha tas lixado ehehe

    jokas ate amanha

    ResponderEliminar
  52. Sei la ana, deve andar por ai...

    ResponderEliminar
  53. Já te esticaste? Nada! Como sabes, eu não reajo a provocações vindas de cotas!

    ResponderEliminar
  54. Eu sei Contadora...
    Os cotas sao o teu calcanhar de Aquiles :-)

    ResponderEliminar
  55. Pois são! Onde eu me fui meter...

    ResponderEliminar
  56. eh eh eh eh palpita-me que ainda tens um longo caminho a percorrer...

    ResponderEliminar
  57. Como assim? Ora explica lá isso bem, ófaxavor!

    ResponderEliminar
  58. "Pois são! Onde eu me fui meter"

    Que "isso" onde te meteste, palpita-me que esta para durar...

    Nao te safas. Considera-te "condenada" :-)

    ResponderEliminar
  59. Posso ser sincera contigo?
    Mesmo mesmo mesmo sincera?

    ResponderEliminar
  60. Oh Contadora, nem outra coisa eu esperava de ti!

    ResponderEliminar
  61. Sendo assim...
    Espero, sinceramente, que tenhas razão. Que esteja para durar.

    E depois do momento lamechas da noite... vais reescrever as tuas ementas e inserir «Criaturas esquisitas comestíveis»?

    ResponderEliminar
  62. AMEN (se for esse o vosso desejo)

    E nao, nao vou escrever semelhante barbaridade, que me espanta a clientela!

    Olha la, tu dizes que vais comer bivalves e crostaceos, ou vais simplesmente comer MARISCO?

    ResponderEliminar
  63. Por acaso... digo que como univalves, bivalves e crustáceos.
    Mas vindo de mim, que esperavas tu?

    ResponderEliminar
  64. yeah right!!!

    "olha vamos ali ao Dom Marisco, comer "univalves, bivalves e crustáceos"...

    Nao te estejas a armar que eu por acaso ate sei que tu nao es nada assim :-)

    ResponderEliminar
  65. Ahhh! Sabes nada! Até parece que já estiveste comigo a comer pastéis de nata!
    Ou melhor, caixas de fina massa folhada estaladiça recheada com espuma de ovos natamente açucarados...

    ResponderEliminar
  66. Raios me partam se nao googlaste agora esse palavrao para definires as natas!!!

    ResponderEliminar
  67. Então estás aí todo partido por uma série de raios.
    Duvidas que tenha vindo tudo da minha linda cabecinha?

    ResponderEliminar
  68. Nao Senhora! Entao eu nao sei que a menina (tem a mania que) sabe tudo?!

    ResponderEliminar
  69. Ah, bom!
    Assim está muitíssimo melhor!

    ResponderEliminar
  70. E tao facil contentar as mulheres, pa! :-)

    ResponderEliminar
  71. O que queres? Derreto-me com cotas...

    ResponderEliminar
  72. ah ah ah ah ah vou nanar, amiga. O dever/prazer chama-me :-)

    Beijoca

    ResponderEliminar
  73. Ui! Que inveja! Hoje não há prazer para mim...
    Até amanhã!
    Beijos!

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Este espaço é seu. Use e abuse, mas com respeito, principalmente por quem nos lê. Francisco