Paella de Bacalhau

Muito bom dia a todos!
Hoje fui para a cozinha com a intenção de preparar um prato, mas aconteceu-me um "acidente de percurso", que acabou por o transformar numa coisa completamente diferente do que estava inicialmente planeado.O almoço ia ser um arroz malandrinho de tomate com bacalhau. É um dos meus pratos favoritos e tinha ali um lombo do dito que me estava a fazer crescer água na boca.
Há um ingrediente que marca presença em quase todos os pratos de peixe que eu preparo para mim, embora não o utilize quando cozinho para várias pessoas, nem o indique nas receitas que publico, por ter um sabor forte. Reconheço ser um gosto muito pessoal, que poderá não agradar a toda a gente. Falo-vos do Açafrão das Índias.
Ontem, já o arroz de tomate ia a meia cozedura e pronto a receber o bacalhau, quando achei ser tempo de o polvilhar com um pouco da tal especiaria. A embalagem é um daqueles frascos de vidro, em que desenroscamos a rolha e aparece uma película com uns buracos pequeninos, cuja finalidade é exactamente controlar a quantidade que se usa.
Aconteceu que o Chef estava entretido entre o fogão, o computador, a televisão e não se apercebeu que a tal película picotada se tinha desprendido do frasco junto com a tampa exterior. Lembram-se do velho ditado que diz: "quem muito come, mal mastiga"? Pois isto aconteceu-me exactamente por estar a fazer várias coisas ao mesmo tempo.
Resultado: na hora de polvilhar o açafrão, caiu-me  metade do frasco dentro da panela.
Entre meia dúzia de palavrões, pego numa colher e ainda consegui retirar a maioria, mas o que se diluiu imediatamente era muito mais do que o recomendável para um arroz de tomate. E logo o açafrão, que altera imediatamente a cor da comida.
Solução? Mexi o arroz e juntei o bacalhau. Deixei levantar fervura. Com uma concha retirei o máximo de liquido que consegui, abafei e deixei secar completamente em lume brando. O resultado foi o que podem ver ali abaixo, que ficou muito bom, mas que de arroz malandrinho de bacalhau não tem nada.

Pelas suas características, vamos chamar-lhe Paella de Bacalhau.
Como os leitores mais assíduos tiveram oportunidade de ler neste blog, já aqui falei das paellas típicas de Valença, da sua origem e das várias transformações que foram sofrendo ao longo dos tempos.

Mostrei-vos a Paella Valenciana (feita com vários tipos de caça)





A Paella Marinera (mista de mariscos)




E a Paella Negra (feita com chocos na sua tinta).




Pois agora, para quem se quiser aventurar, eis a minha Paella de Bacalhau, inspirada na tal raridade que me aconteceu ontem:


Ingredientes (para 4 pessoas):

1 lombo (600 grs) de bacalhau
400 grs de arroz
250 grs de feijão verde (ou ervilhas)
1/2 chouriço de vinho
2 tomates maduros
1 cebola
1 pimento morrone
3 dentes de alho
1 copo de vinho branco maduro
azeite de oliva
sal, pimenta, oregãos e açafrão qb
salsa

Preparação:

Corte o chouriço em cubos pequenos e deixe fritar ligeiramente na paellera, com um fio abundante de azeite.

Junte a cebola e o alho picados. Deixe alourar mais um pouco, juntando de seguida os tomates partidos em cubos.

Regue com um copo de vinho branco e deixe levantar fervura, antes de juntar o arroz, medido a copo.

Acrescente 3 copos de água para cada um de arroz, tempere de sal, pimenta, oregãos e meia colher das de chá de açafrão.

Mexa bem com uma colher de pau e verifique a cor do molho. Se preferir, acrescente um pouco mais de açafrão, mas moderadamente.

Levantando fervura, rectifique os temperos e junte o bacalhau partido em pedaços e os legumes, que ontem não usei, mas que aconselho vivamente. Por fim, decore toda a superfície com o pimento cortado em tiras.

Deixe cozinhar em lume brando, sem mexer mais, até que o arroz fique bem seco. Salpique com um pouco de salsa picada e leve à mesa.

Eis a prova de que na cozinha "nada se perde, tudo se transforma". Como podem ver, mais uma maneira agradável de comer o nosso "fiel amigo", que não custa nada a confeccionar e fica uma delícia.

Bom apetite!

Francisco Vieira

20 comentários:

  1. Bonjour querido Francisco!

    Eu não cliquei na imagem, mas quis deixar meu comentário sobre o que me pareceu conforme me apeteceu... rs

    É o que eu e outras pessoas sempre dizem: primeiro comemos com os olhos... e a forma como descreves seus pratos... hummm dá mesmo água na boca até de uma vegetariana.

    Adoro arroz integral e também só como este. Espero tua próxima receita do arroz malandrinho ;)

    Beijo meu querido e fiel amigo.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Patrícia!

    Por acaso estas-me a chamar (fiel amigo) Bacalhau?! eh eh eh eh

    Outro beijo

    ResponderEliminar
  3. Por acaso também.. eheh
    Bricadeira!
    Beijos...

    ResponderEliminar
  4. ah ah ah ah ah Oh Patrícia, não te preocupes, que já me chamaram nomes piores :-)

    ResponderEliminar
  5. Parece fácil!
    Vou tentar.
    Bjs querido.

    ResponderEliminar
  6. Bom dia Fátima. Claro que é fácil! Ainda mais para uma cozinheira de mão cheia como você :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Francisco, boa tarde. Se o gosto estiver tão bom como a imagem...
    Tenho que por algo impermeável sobre o teclado ou ainda levo um choque ao entrar no teu blog!

    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde Cat!

    Julgo que sobre esta receita não tenhas puxões de orelhas a dar-me...
    Mais saudável que isto é complicado :-)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Francisco
    Então é assim:
    Primeiro "estrago" o arroz de bacalhau malandrinho... e depois, começo a executar a receita... Gosto de açafrão, aliás, gosto de todos estes condimentos orientais...
    Achei graça ao ditado ( que não conhecia...) "Quem muito come, mal mastiga"...
    Aqui, eu aprendo de tudo, um pouco.
    beijocas
    Graça

    ResponderEliminar
  10. Boa noite Graca!

    Não estrague nada! Comece a executar a receita tal como a escrevi, sff...

    O "estrago" foi ontem :-)

    Beijos e quanto ao ditado, aprenda então, porque eu não sou sempre vivo.

    ResponderEliminar
  11. Boa noite Francisco, Isso do Açafrão não me convence muito, mas que o raio das fotos estão com muito bom aspecto isso sim... E para quando é que cozinhas pá gente?

    Abraços

    ResponderEliminar
  12. Boa noite Jesus!

    Não percebi qual foi a parte que não te convenceu. Não gostas de açafrão, é isso?

    Um dia havemos de preparar uma caldeirada...

    Abraço

    ResponderEliminar
  13. Venho dar um cheiro com o outro blog.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  14. Pat, cheiro registado :-)

    Uma boa noite para si

    uma beijoca

    ResponderEliminar
  15. 'Migo, perdoa a ausência demasiado prolongada. Acho que estou sob o efeito das cinzas do vulcão islandês...
    E voltas tu às paellas! Love them!!!
    De bacalhau nunca comi, mas despertaste-me a curiosidade.
    Agora, fiquei foi a saber algo sobre o LBJ. Não gosta de açafrão? Está parvo ou quê?
    Beijos!

    ResponderEliminar
  16. Bom dia Contadora!

    Volta que tas perdoada :-)

    Eu também tenho tido pouco tempo. Acontece-nos a todos. Isto não é mandatorio amiga. Quem não entender isso de outros, não será grande amigo.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  17. Benfeita... na minha terra costuma-se dizer "e um abre olhos" para a proxima tas com atencao ao que estas a fazer lol
    Sera que para a proxima podes fazer paella de marisco e convidar aqui o burgo ahahaha
    Quanto ao arroz "malandrinho", mas de frango ate ja me esqueci de fazer lol

    beijocas

    ResponderEliminar
  18. Bom dia Ana!

    Um dia destes marcamos uma jantarada :-)

    Beijos

    ResponderEliminar
  19. E assim nasceu um novo prato; porque não chamar-lhe antes "Paella Distraída"?

    ResponderEliminar
  20. João, boa sugestão :-)

    Abraço

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Este espaço é seu. Use e abuse, mas com respeito, principalmente por quem nos lê. Francisco