E Aveiro ali tão perto...

(e Aveiro ali tão perto...)

Alda Pinto, uma jovem a residir na Freguesia de São Jacinto, Concelho de Aveiro, debateu recentemente na Assembleia Municipal desta cidade, as dificuldades com que actualmente se debate, salientando que o seu não é um caso isolado, o que tem vindo a contribuir para a desertificação daquela freguesia.

Trabalhadora/estudante, activamente envolvida nos interesses da terra, onde exerce o cargo de Presidente da Assembleia de Freguesia, Alda confessou com alguma mágoa as dificuldades com que se deparou nos últimos tempos, aproveitando ainda para juntar aos seus, o rol de queixas da maioria dos moradores da zona piscatória, separada do desenvolvimento, pelas águas da ria e do mar.

Apesar do isolamento a que estão sujeitos os seus habitantes, cuja única alternativa às deslocações rodoviárias até à Sede de Concelho (50 kms) é uma ineficaz e inconfortável (principalmente nos meses de Inverno) travessia da Ria de Aveiro, São Jacinto, que não tem um posto médico, uma esquadra de polícia, um banco ou um balcão de correios, viu recentemente aumentarem de uma forma drástica e aniquiladora para a grande maioria, o IMI e IMT.

Alda, que há três anos ali comprou casa, apesar de trabalhar e estudar na cidade e que pagava 490 euros de IMT, passa agora a pagar 2490 euros, mais 490 de imposto de selo. Este aumento, somado ao facto de ter perdido a Bolsa de Estudo que lhe permitia continuar na faculdade, tornaram insustentável a sua permanência na terra, obrigando-a a fazer planos para rumar a outras paragens.
Ela, e provavelmente a maioria dos moradores, cujo rendimento não permite suportar estes aumentos...

Francisco Vieira
Fonte: Diário de Aveiro

6 comentários:

  1. Francisco, boa noite.

    Mais uma história do "Portugal no seu melhor"...

    ResponderEliminar
  2. Francisco

    A situação de vocês está ficando séria.

    Precisam urgentemente de um presidente que tome medidas rápida para controlar o descontrole financeiro.

    Abs

    ResponderEliminar
  3. E se desfolharmos mais ainda o rol de queixas veremos que engloba o país todo e a maioria silenciosa e impotente de mostrar o seu desagrado.
    Quando se juntam em grupo e se manifestam são logo apelidados de comunistas e mandam a polícia guardá-los..../...

    ResponderEliminar
  4. Que tristeza.
    Fizeste bem em divulgar este caso, para que possamos aquilatar em que país vivemos...

    ResponderEliminar
  5. E que tristeza mesmo!
    É uma pena que isso aconteça também aí...

    Um Beijo, meu querido.

    ResponderEliminar
  6. Meus amigos, obrigada pelo apoio, só quero dizer que não parei de lutar, e o resultado da minha luta tem-se vindo a notar,só tenho pena que dizer as verdades faz doer a muita boa gente, bem hajam

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita. Este espaço é seu. Use e abuse, mas com respeito, principalmente por quem nos lê. Francisco